Making Of: Apartamento 53

Voltei, amigos! E dessa vez, com uma novidade, que é também o motivo de eu não ter tido tempo pra postar aqui: finalizamos o curta-metragem do meu grupo! Explicando um pouco: no 3º ano do meu curso, a gente faz um curta como Projeto Interdisciplinar (o inter, pros mais chegados), praticamente um pré-TCC. Depois de um zilhão de diárias de gravação, desgaste físico, psicológico e (por que não) moral, muito planejamento e problemas inesperados – porque, por mais que você espere problemas, eles sempre aparecem quando e onde a gente não imagina -, ACABAMOS! Foi uma aventura, uma jornada, uma odisseia, mas vendo o produto final bate aquele orgulho…

Na divisão das funções, fiquei com o roteiro e a direção de elenco – duas áreas que gosto bastante e que já tinha realizado em projetos anteriores (ainda falaremos disso!). Mesmo assim, decidimos que a premissa da história seria definida em grupo – pra ninguém ficar com aquele sentimento de “aff, nem gosto da história, tô nem aí”. Depois de muita conversa, concordamos que gostaríamos de ter uma prostituta como protagonista, porque muitas vezes elas são retratadas de forma preconceituosa e superficial, ou até vitimizadas demais. Queríamos retratar uma mulher forte, mas não inabalável. Assim nasceu a Luana.

Depois, complementamos a história com o Fernando, o homem com o qual ela se envolve, e a família dele. Não queríamos uma história de amor proibido, mas mantivemos a história sempre alternando pra uma perspectiva mais realista e convencional (a visão de quem vê o caso de fora) e uma mais intimista, envolvente, romântica mesmo (a visão dos dois). Esse contraste entre os momentos do casal principal e de suas vidas separadas foi determinante pra dar o ritmo que a gente queria pra história. Não vou dar tiro no pé e contar o final da história, mas gosto bastante de como amarramos tudo no final!

Roteiro aprovado, passamos pra produção – e que produção… Começamos com a miudeza de QUATRO castings pra achar o elenco ideal. E todo mundo tinha que combinar (pai com filha, esposa com marido, marido com amante…), foi uma doidera. Mas tivemos sorte e escolhemos uma galera beeem boa, assistam e verão! Conciliar as agendas dos atores também foi um pouco complicado, especialmente na parte dos ensaios, mas o fim tudo deu certo. Elenco ensaiado, lá vamos nós gravar… Fiz a louca e me empolguei no roteiro, escrevi ~apenas~ 33 cenas. Coisa pouca. Ah, isso sem contar o número de locações diferentes: umas 9, sem contar o estúdio e as cenas rápidas de rua. Haja ordem do dia!

Ah, isso tudo sem contar a montagem do estúdio! Uma das exigências do inter é que o curta tenha uma cena em estúdio, pra eles se divertirem com a gente se sujeitando e sofrendo pra pintar tapadeira, montar cenário, limpar chão, todos esses perrengues. Inclusive, esqueci de me vestir humildona no dia e meu vestido vai ficar com manchas de tinta esmaltada para todo sempre. Brincadeiras à parte, vale a experiência. Ainda lembro da frase de um dos cenógrafos do estúdio (Que foi? Queria que a gente pregasse as tapadeiras sozinhos também?): “Taí ó: tinta e fita crepe. Televisão é isso”.

Entre tantos momentos inusitados nas gravações, destaco a aparição milagrosa do motoqueiro de delivery da China In Box (que caridosamente usou o farol da sua moto pra ajudar a iluminar uma cena noturna), os apuros de gravar no centro da cidade (com direito a dois caras chegando perto da câmera e perguntando “Quanto vale isso aí?”), minha descoberta da existência do prato verão no Habbibs (novo favorito s2), busca incessante por maquiadoras, usar de locação o apartamento mais lindo do Brasil (beijos e obrigada Sabrina, onde quer que você esteja <3) e os memes mais queridos da produção: Choque de Monstro e #QueriaEstarMorta e nosso meme original: Tadinho(a) do Dia.

Depois das gravações, láá foi a galerinha da pós-produção montar e finalizar o material. Não participei dessa parte, por isso ver ele pronto foi novidade pra mim também – e, mesmo que eu tenha feito o roteiro, ver o produto final é bem diferente. Mesmo sabendo que poderíamos ter feito algumas coisas diferentes, ainda fico feliz em dizer que fiz parte disso tudo! Todos nós aprendemos muuuito, foi uma experiência muito mais profissional do que os outros trabalhos até então. Assim que o link for disponibilizado, foi substituir esse aqui – que é o nosso teaser, a propósito. Espero que gostem de entrar no Apartamento 53 – tanto quanto nós gostamos de construí-lo!

Data do post original: 3 de dezembro de 2014

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s